ABERTURA DO POSTULADO I
24/02/2018 - 16h34 em Novidades

ABERTURA DO POSTULADO I

 

Na manhã deste sábado (17/02) às 11h30min, fora realizada uma paraliturgia onde o Ministro Provincial, Frei Liomar Pereira da Silva, admitiu ao Postulado I da Província Nossa Senhora da Piedade da Bahia e Sergipe, sete jovens que desejam servir ao Reino, ao modo do Seráfico Pai São Francisco de Assis.

Estiveram presentes diversos frades vindos da Fraternidade Frei Urbano (pós-noviciado I), Fraternidade Nossa Senhora da Piedade (pós-noviciado II), Fraternidade Santo Antônio, o bispo diocesano Dom Paulo Romeu, além dos representantes da Comunidade Paroquial local.

Pedimos orações para nossos jovens, bem como por toda a Santa Igreja!
Aos nossos jovens, desejamos que Aquele que os chamou, seja sempre seu "ponto de partida".
Deus vos abençoe e vos guarde!

 

Os jovens admitidos ao Postulado I, são:

Anderson Bonfim (Esplanada-BA);

Gilvan Batista (Nossa Senhora da Glória-SE);

Luís Carlos Brasil (Ilhéus-BA);

Matheus Santos (Esplanada-BA);

Marcelo Lisboa (Salvador-BA);

Vinícius Lima (Salvador-BA) e

Washington Filipe Novaes (Vitória da Conquista-BA).

 

Assim se descreve essa etapa, nas Constituições da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (n. 29 e 30):

1. A iniciação à nossa forma de vida consagrada desenvolve-se por etapas, que são o postulado, o noviciado e o pós-noviciado, e efetiva-se de acordo com as normas do direito universal e de nosso direito particular.

2. O tempo da iniciação começa no dia em que o candidato é admitido pelo ministro provincial ao postulado, e vai até a profissão perpétua. A partir do momento da admissão, o candidato é gradativamente inserido na fraternidade no que se refere à formação, à vida e ao trabalho.

1. O postulado é o primeiro período da iniciação no qual se faz a escolha de nossa vida.          

2. Nesse período, o postulante conhece nossa vida e faz um ul-terior e mais cuidadoso discernimento de sua vocação. A fraternidade, por sua vez, conhece melhor o postulante e certifica-se quanto ao desenvolvimento de sua maturidade humana, principalmente afetiva, e quanto à capacidade para discernir sua vida e os sinais dos tempos segundo o Evangelho.

3. O postulante, portanto, deve ser ajudado de modo particular no aprofundamento da vida de fé. Para esse objetivo, a formação dos postulantes tende sobretudo a completar a catequese da fé, a introduzir na vida litúrgica, no método e na experiência da oração, no estudo do franciscanismo, na vida fraterna e numa primeira experiência de atividade apostólica.

 

Pax et Bonum

 

Fonte: Capuchinhos do Brasil /CCB

Por Frei Luan Vinhas (Fraternidade Frei Urbano)

COMENTÁRIOS